Mobilizações

Semana das Águas

Em 1993 a Organização das Nações Unidas (ONU) adotou o dia 22 de março como o Dia Mundial da Água. Estava dado um importante marco político para se pensar globalmente sobre o uso desse recurso natural.

Já em 1999 o Instituto Regional da Pequena Agricultura Apropriada, o Unicef e a Cáritas Brasileira organizaram a primeira Semana das Águas, começando no dia 15 de março e culminando na data oficial. A proposta era discutir o tema com um olhar sobre os desafios do Semiárido em relação ao mau uso e escassez, esta com suas razões naturais e políticas, e anunciar as práticas sustentáveis. Era preciso pautar a convivência e a mobilização social para compreender as relações de poder e os interesses econômicos responsáveis por, ainda hoje, existir um enfrentamento de problemas na garantia do acesso à água para a biosfera. Por isso, todos os anos a Semana das Águas incentiva e mobiliza diversas organizações que trabalham pelo Semiárido a discutirem o tema e, dessa forma, agirem.

Romaria das Águas

A Comissão Pastoral da Terra deu início às Romarias da Terra para ecoar os clamores do povo do campo. Estas, de cunho religioso aliado ao político, se distinguiam das romarias tradicionais, de culto aos santos, e centradas no indivíduo, com suas questões internas e pessoais. As Romarias da Terra passaram a olhar para o corpo social, para os problemas coletivos, e, assim, a exigir direitos e a denunciar os assassinatos de trabalhadoras e trabalhadores do campo. A Romaria das Águas surge sobre o mesmo intuito político: levar a público as violações referente ao direito à água, como a escassez e a sua concentração para fins econômicos, além de celebrar as lutas e a resistência dos povos.



  • Compartilhe: